O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 4 de março de 2010

saber

'isto bergson sabia-o melhor que ninguém, pois ele mesmo transformou a filosofia ao colocar a questão do 'novo' em lugar da eternidade (como é possível a produção e aparição de algo novo?). Por exemplo ele dizia que a novidade da vida não pode aparecer no inicio, porque no começo a vida imita forçosamente a matéria.'gd

10 comentários:

Anaedera disse...

E tudo era antes de o ser.
Tal como a linha da vida se transforma continuamente,
ao longo das suas espirais.

baal disse...

uma ante-ontologia? é uma excelente questâo. tudo era antes de o ser?

João de Castro Nunes disse...

Estou maravilhado, caro BAAL, com a tua pedalada... filosófica! Ninguém te apahha!
Deves ser o ídolo das burgueesas do teu bairro. Seu raposão! JCN

baal disse...

desejo só tenho um. que a fausta seja do meu bairro.

Fausta disse...

Nunca! Ouviste bem? Nunca! Não vou à bola contigo! Irritas-me.
Fiquem lá com a raposa e o raposão. Bom proveito.
Burgueses!

baal disse...

e tu fausta não sabes, com a tua irritação, o que deixas de aprender.
podia, por exemplo, ensinar-te a recuperar fundos (aos bancos).
mas a vida separou-nos e tudo é triste.

Fausta disse...

Eu também me sinto triste, muito triste por esta separação. Nada o fazia prever. Foi tão bom entre nós. Mas ainda assim, como não sou orgulhosa, estás à vontade para dar-me a receita do fundo do banco. Não te acanhes!

baal disse...

pois este é um mundo injusto. a recuperação de fundos: vais a um concurso para caixa do banco de preferência de mini-saia (eu não posso, não uso mini- saia). defines o percurso das carrinhas de valoree e... o resto explico mais tarde. quando reatarmos e terminar esta imensa tristeza.

Fausta disse...

Ó Baal, esse teu programa revolucionário cheira-me a pecado original. Por acaso, não quererás tu, meu burguês, uma cota-parte da miséria do proletariado?
Olha que eu também não uso mini-saia e tenho pouco jeito para caixa.
Da minha parte, há um bolor de suspeita em relação a ti. Responde-me: és mafioso?

baal disse...

desta mafia não. lembro-me de uma que na sicilia atacava os latifundiários e que clamava 'sangue por sangue'.

nunca na vida atacarei os proletários (sou um deles).

porta-te bem fausta.