O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 19 de julho de 2010

Se houve antes, se existisse o passado ...

eu teria existido em ti, doce presente em que não existo,
e sou isto, aguardente a desaguar quente,
memória do que nunca vivi,
Ah - a vontade de reviver o imaginário,
um dó, um sol e invento a clave
realejo perdido

Ah - e esse desejo que me queima
GRITO: - ESTOU AQUI!
ninguém me ouve,
EXISTO!
meu sexo é prova disso
respira comigo
inspira e expira
quer mais e mais,

Se houvesse antes, se existisse o passado...

cada história de amor
era encantada com uma nova cor

saudades que tenho

do azul que nunca esqueci
e dos teus beijos loucos,
vermelhos a brincar com a cor

Nunca soube teu nome
Meu corpo guardou tua cor
nessa doce noite de amor

1 comentário:

paladar da loucura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.