O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 5 de julho de 2010


não digas arma, diz: arte!

14 comentários:

Kunzang Dorje disse...

ama!

Flávio Lopes da Silva disse...

amar!

Flávio Lopes da Silva disse...

Kunzang Gorgje, gostei da sua sugestão. vou aceitá-la.

ABRAÇO

Rui Miguel Félix disse...

Não digas diz...

Abraço

Kunzang Dorje disse...

abraço, flávio!

rui: quem diz?

Rui Miguel Félix disse...

boa pergunta!

Abraço!

Kunzang Dorje disse...

que pergunta?

Rui Miguel Félix disse...

que pergunta?

Kunzang Dorje disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kunzang Dorje disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
platero disse...

e por que não -
para ARTE como ARMA
:
ARMARTE
?

abraço

Anaedera disse...

Ou então,
o Amor como a arte da guerra!

baal disse...

a arte é a maior das armas de destruição deste mundo. felizmente.

ps: apesar da emergente calma social ( boa educação burguesa) considero que há,neste mundo,uns fdp que mereciam um susto.

Kunzang Dorje disse...

armas de amor, armas de destruição... tudo areia do mesmo saco. amando, um gajo pode destruir... e destruir pode-se fazer amando. sim, há que apanhar um susto para anular as dualidades.