O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 16 de julho de 2010

Bússola, livro de Flávio Lopes da Silva, sobre a apresentação

Como foi anunciado, ontem, 15 de julho,  foi a apresentação do meu livro chamado Bússola, onde familiares, amigos meus e alguns leitores puderam-se inteirar um pouco mais sobre o meu trabalho literário e motivações no âmbito da escrita.

Para falar sobre o livro Bússola e dar-lhe luz, esteve o meu amigo escritor e ensaísta Paulo Borges, que tão bem soube dignificar este meu mais recente trabalho, fazendo-o com sensibilidade e sabedoria,
deixando nas pessoas que o ouviam atentos e serenamente uma vontade crescente em conhecer as palavras deste livro que em silêncio repousam. Livro este que, após o lançamento, deixou de me pertencer e passou a ser de todos nós. Também o actor e declamador Armindo Cerqueira esteve brilhante ao dizer excertos do livro com a sua voz que sempre enche uma sala.
Quero aqui agradecer de coração ao Paulo Borges pela sua vinda a Barcelos, pelo seu contributo genial, pelo abraço, pelo rasto que deixou quando partiu sem ter partido. Barcelos também agradece.
Grato também a todos que puderam estar comigo neste momento importante da minha vida, física ou pensamento. À câmara municipal de barcelos um obrigado.
Resta-me dizer que espero-vos encontrar noutro livro, noutra viagem, porque ontem foi só um dizer até já.
Obrigado e, façam o favor de me ler!

3 comentários:

Paulo Borges disse...

Flávio, sou eu que te fico grato pela tua escrita funda, sábia e indomável! Um abraço.

Kunzang Dorje disse...

que bom poder respirar a energia que por aqui circula

bem-hajam:)

paladar da loucura disse...

E manda-me ler-te que com sorriso te pedirei mais!