O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

equinócio


Outono à porta

já mudei de
:
sapatos
meias
calças
camisa
camisola

falta-me mudar
de
:
mim

8 comentários:

rmf disse...

Não mudes! :)

Abraço fraterno

platero disse...

mas mudar é preciso, amigo
Todo o mundo é composto de mudança

grande abraço

Anaedera disse...

na minha experiência, quanto mais mudo, mais fico na mesma.
Por isso, permanece como és.
É mais fácil!
Bj

platero disse...

ANAEDERA

avisado conselho o teu.
vou só mudar de roupa, e mesmo essa, com moderação

beijos

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
platero disse...

FAUSTA

sem calças
sem cuecas
sem camisa

minha nudez não espanta
-escandaliza

Flávio Lopes da Silva disse...

bom dia!

bem observado!
palavras para quê, se o poema fala por si

grande abraço

platero disse...

nem poesia
nem fantasia

a realidade nua
dos meus
setenta anitos

mesmo assim - simpáticos

abraço