O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 5 de setembro de 2010

AMOR ETERNO

Se ele disser que me ama, faço um poema, porque sempre acreditei nele. Quando disser que acabou, como tudo acaba um dia, não vou acredita. Ele mente quando respira.

Se me abraçar e der um beijo na boca, vou estar certa de tudo que sente e não sente.
Vou confundir o presente com o passado, e chorando direi: - Nunca me amaste!
Se ele insistir que no passado o sentimento era outro. Indignada gritarei: - Mentiroso!
Quando partir estarei fechada no quarto acariciando a dor.
À noite, abraçarei o vazio, com um nó na garganta, soletrarei: - ele sempre me amou! Perdida no tempo, entre o que é e o que foi, entre o que quero e perdi, passeio entre bosques, vejo fadas e anões. Pergunto pela raposa. Ninguém me responde.
Quando ele voltar e disser envergonhado que o nosso amor é eterno, vou acreditar.
- Luis, olha o jantar que esfria...
- Só janto quando acabar o futebol....
- Mas...
- Deixa-me em paz! Nem aqui descanso... GOOOOOOOOOOOOL

2 comentários:

platero disse...

maravilha

beijo...............LUIS

paladar da loucura disse...

Quando o futebol acaba, dependendo do resultado, ou sais de casa sem ar ou me deitas na cama. Um amor como esse é eterno!
beijos ao Platero