O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Cenário Casa-de-Banho


Amplie para contar perdizes - lado esquerdo
Nunca experimentou espreitar pela janela da
sua Casa-de-Banho?
o que é que vê?

começar o dia a ver perdizes não é mau de todo

4 comentários:

rmf disse...

Vislumbres só possíveis para quem vive dentro do campo, e que, da janela para fora, é irmão da paisagem e da natureza em estado puro. A fotografia comprova-o.

Um verdadeiro balde de água fria para quem deambula pela cidade à procura da utópica serenidade dos verdes...

Gosto desta fotografia.

Abraço fraterno.

marta disse...

:)

paladar da loucura disse...

Contei tantas perdizes que perdi-me! entre a janela e a vontade de estar, vives!

rmf disse...

Amigo, sem mais rodeios, eu respondo!!

- Sim, todos os dias;
- 5 perdizes;
- Árvores de fruto, pereiras, diospireiros, laranjeiras, limoeiros, os canteiros agora com os chuchus para a sopa e as aromáticas, gatos, pássaros, um cão, e os meninos da escola primária que das oito da manhã às seis da tarde enchem ruidosamente o ar com a sua alegria!

Abraço!!