O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

POESIA

Quando crescer vou ser poeta
contar da flor que nasce
daquela que agora morre
Quando crescer farei poesia
da poesia de cada encontro
Quando crescer, bastará fechar os olhos
abraçar tudo que vejo
Instante que amo e largo
Intervalo sem tempo
Poema que assiste a vida

2 comentários:

platero disse...

assistir a vida

diferente e bem melhor do que
assistir À vida

beijinho

paladar da loucura disse...

e não é?