O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

HOJE (parte II)

Hoje acordei no verbo não.

Hoje não gosto de vegetais,
não quero saber dos animais.
Hoje não sou contra o roubo nos salários
não sou contra os prémios milionários.
Hoje não condeno o rico ilícito
o esbanjamento ou desperdício.
Hoje, não me indigno com a fuga ao fisco,
com os carros nas garagens abastadas,
ou com as contas recheadas.
Hoje não digo não à corrupção,
aos milhões que se lavam com as mãos.
Hoje não sou contra a tourada,
não me choca a massa humana,
esfomeada.
Hoje não reparo na Ignorância,
nos maus tratos na infância.
Hoje não penso na surdez e na rudeza
Com que abatem a Natureza.
Hoje não escuto os apelos e os clamores
de quem sofre de várias dores.
Hoje não me revolto, não protesto
Hoje não me indigno,
Hoje não choro.
Hoje não. Amanhã? Não sei, logo se vê.
Ou não!

2 comentários:

b r i s a disse...

dizem que só o hoje importa, pk o passado e o futuro não existem... é estranho. lerei «o poder do agora».

paladar da loucura disse...

Por hoje, não. Até quase agora, porque gosatei com um SIM