O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Hoje acordei com a certeza de que me falta tempo.
quero viajar pelo mundo
viver/conviver com o sorriso
e o choro daqueles que habitam outras paragens.

Não vou poder abraçar as mulheres - girafa,
nem as meninas que vestem a burca
mal o sangue lhes escapa.

Não vou conseguir aprender
com as gueixas a arte de ouvir,
nem com as índias a de parir
e sorrir.

Queria viajar e sentir
em todos um abraço
que resulta do que cada um somos
enquanto vida.

Queria aprender a dançar
e a rezar sem conceitos e preconceitos.

Hoje acordei com a falta que tenho
de não poder jogar-me nos braços
do homem que dança o tango.

Hoje dei conta da falta,
e da vontade que tenho em voltar,
do tempo que uma vezes é longo
e agora tão curto.

Quero abraçar o mundo e para isso terei sempre tempo.

4 comentários:

platero disse...

interessante como sempre.

beijo

paladar da loucura disse...

obrigada Platero, como sempre generoso o teu comentário. beijo

intervalo disse...

Lindo,como desejo ver outras paragens,viajei lendo você.Parabéns,bela arte com as palavras.beijos.Lia...

paladar da loucura disse...

Obg Intervalo :). beijo