O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 9 de maio de 2010

Acerca dos festejos...e das coincidências

O que dizer, quando grande parte do país festeja em histeria os muitos milhões ganhos por pouco mais de meia centena de pessoas... e grande parte deste país arruína, passa fome e esconde a miséria e pobreza de valores... é a apologia da corrupção e do roubo descarado. Fado, Futebol e... Fátima. Coincidências.

7 comentários:

saudadesdofuturo disse...

Estou de acordo consigo, neste desacordo em que vivemos. Também vejo como um filme já visto os três Efes saltarem, enquanto a "ruína" mina...

Que incoincidência... que indecência!!!

O que festeja este povo?
Que razões tem para festejar?
A Vida? Sempre!
Mas a vidinha...
Está muito difícil...
Para muitos...
Para cada vez mais e de forma mais descarada...
o despudor!
A falta de vergonha!

Rui Miguel Félix disse...

E que vislumbre.

Abrsços

Kunzang Dorje disse...

realmente alguém anda a dar-nos fado, futebol e fátima... fado na televisão (na tv do estado), futebol (jogos e imensos programas de erudição futebolística) e agora... fátima, com o 13 de maio e a vinda de Bento XVI. Parece que pouco mudou desde o regime salazarista... apesar de aparentemente reinar um maior espírito de liberdade no ar. Mas será liberdade ler jornais cujo conteúdo é manipulado por corporações? Será liberdade ter mais poder de compra para consumir e seguir cegamente os nossos impulsos ávidos? será liberdade viver para consumir e produzir para consumir, fechados neste ciclo que vendo bem não tem saída?
Vivemos em crise, ou seja, o dinheiro escasseia para o consumo e os nossos impulsos manifestam-se cada vez mais... E os governantes anestesiam-nos logo com o "fff".
Julgo que a histeria não é a apologia da corrupção e do roubo descarado... A histeria é a manifestação da ignorância do que de mais rico há em nós e no mundo; a histeria é a apologia do homem que morre passando a vida à procura de tesouros longe de casa, sendo a casa o local onde afinal sempre esteve o tesouro.

Paulo Borges disse...

A história repete-se... Mal de quem não desperta deste círculo vicioso.

platero disse...

3 eFes ?

acrescentaria um quarto- que termina em "...da-se"

Paulo Borges disse...

Isso, amigo Platero!

unenlightened disse...

Estas celebrações são uma mostra de felicidade ... É o "artigo genuíno" no que toca à felicidade ... É asneira pensar que é uma felicidade diluída, inferior. Não se pode dizer a um tipo que está no meio da rotunda do Marquês de Pombal, de cachecol erguido, e que grita de alegria a plenos pulmões hinos clubisticos "Desculpe lá, mas o sr. está equivocado ... isso que sente não é felicidade, porque eu é que sei o que é felicidade".

O grande problema deste tipo de "felicidade" é que não é uma felicidade alicerçante, que constrói frutos para o futuro, e promotora de tranquilidade.
O "celebrar" não é o problema ... Problema é as celebrações terem o potencial de fazer varrer para debaixo do tapete outras preocupações e necessidades bem mais pertinentes.