O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 1 de maio de 2010


1º. de MAIO
- a Natureza mostrou a Primavera
brincou às cores, MANETizou-se, lançou-se despudoradamente a copiar GAUGUIN,
a imitar Van GOGH.

cuidado, senhora Natureza, com as falsificações

3 comentários:

Anaedera disse...

Linda foto, ou melhor,lindo quadro?!
Recorda-me os velhos tempos de Alentejo e das suas primaveras, lá para os "barros" de Beja.
Obg

Rui Miguel Félix disse...

(de passagem, rápida, Lindo!

Abraço fraterno.

platero disse...

Anaedera e Rui.

tratem de enviar um postalinho de agradecimento a PAN, a S.Pedro, a sei lá quem do reino dos Céus - pela generosidade com que se digna contemplar-nos de vez em quando.
não é só chama e cinzas de vulcão

abraço aos dois