O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Percepção do invisível



Ela trazia romãs para saudar a manhã
Não. Ela era a romã saudada
A manhã trazida nos lábios
Os lábios segredam
O invisível correr dos rios fundos.

O rumor da língua indizível dos astros.
Não digo o rumor visível
Oiço a imaginação dos frutos
Frutifico na língua a romã
Imagino o ninimaginável:

A romã fora do mundo
A língua abrasadora da manhã
Desdobra o vento em véu
O oiro nasce
Na matéria original do fruto
Sopram os astros:
lábios, romãs.

Maria Sarmento

10 comentários:

MeTheOros disse...

Eu não percebo nada de poesia, mas parece-me que, nestes últimos tempos, temos tido por aqui muito boa poesia.

A de Maria Sarmento é ...
É.
(É quanto basta!)

"O oiro nasce"-lhe entre as palavras, e seu silêncio.


P.S.
Aceno, aqui, também aos paladares da loucura e aos "glimpses" do sublime.
Sentado na duna de Luiza.
Inalando isabelinos aromas de Santiago.

Maria Sarmento disse...

Pois sim!...
Não percebe, pergunte a Donis, se estiver com ele...
:)))



P.S.1 O mesmo aceno ou outro no mesmo, para os poetas.


P.S. Só uma perguntinha, MeTheOros,caiu no pote do mel? (hihihi!!!!)

Há que aproveitar...

Glimpse disse...

Entre palavras e romãs, lábios murmurantes, sim é muito belo. Gosto muito de romãs.:) Obrigada. Palavras que iluminam os meus dias! Esta e outras poesias.

platero disse...

Não há palavras...
como diria o outro

melhor
:
faço minhas as palavras de MeTheOros

beijos a todas essas árvores produtoras de palavras
suculentas
perfumadas
solares

Maria Sarmento disse...

"suculentas/perfumadas/solares"
Gosto.

Beijo doce, Platero.

Glimpse,

Vou obseervando o que escreve. Saúdo-o e sorrio-lhe.

Às vozes de Luiza e de Santiago, dentro do coração as oiço. Estão nele, irmãs.

Os poetas com um ramo caído no chão navegam barcos, quando o pensamento é asa...

MeTheOros disse...

À perguntinha curiosa de certo P.S. - aqui, o P.S.1 vem antes do P.S., porque... porque sim! - respondo que deve ser porque ando a pensar em mudar o nome para MelTheOros. :))


P.S.4
Mas... há reclamações, é?

P.S.0
Será o mel um ser senciente? E o Mel-ro, será docinho?

P.S.3
Este é o P.S.2 , mas está como P.S.3, só para chatear.

P.S.1
Acho que vou escrever uns valentes "post scriptum": sinto-me instilado, perdão, inspirado!

P.S.#
Um dia, depois de morrer (se morrer, claro), hei-de escrever um poema. A sério.

Maria Sarmento disse...

P.S. 004
Ahahaha !!!
(De modo nenhum! As que chegaram, desapareceram...:)

P.S.00
Pronto, está a voltar ao normal!
:(
( Ora!... Bem que eu estranhei! :))

P.S.007
Desviem o mel(ro)!:)

P.S. 007.1
Tapem o mel…:)

P.S. 001
Não me instile se não voo na direcção do P.S. 2 contido no P.S.3:)

P.S. 0,0%
Me(l)TheOros não é boa escolha, mas "FelTheOros", nem pensar! (É excessivo!..:)

P.S. 00#
Gostava de ler um poema espectral. A brincar:)

P.S. √¯
Meu querido Amigo, não me inspire!
Suspire e respire!:)

Beijinho melífluo para si, "pestinha" de MeTheOros!

Glimpse disse...

A Maria, humildemente me curvo ante a sua observação às minhas humildes letras. Tiro o chapéu, à moda ocidental, junto as minhas mãos ao peito, em modos de oriente. A MeTheOros e Platero, idem.Obrigada.

Maria Sarmento disse...

Volto para o saudar,Glimpse,com igual gratidão e um sorriso aberto e franco.

Bem haja!

platero disse...

Glimpse

conheço-te
e ainda bem
pela sombra do sobreiro

estou certo ou estou errado?