O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

NATUREZA (Fevereiro de Flores)


o Maior Espetáculo do Mundo

- ligamos pouco
porque é de borla

2 comentários:

MeTheOros disse...

Ultimamente habituámo-nos (a corja político-económica a isso nos levou) a dar mais "valor" ao que não tem um preço: ao que é de borla, portanto. La crise oblige!

Ao que é inapreciável, não sabemos que valor dar. Mas confundimos essa incapacidade nossa com incapacidade de dar um preço: o que não é exactamente a mesma coisa.

É um espectáculo!!

(Abraço, Platero!)

platero disse...

a Fotografia é minha - aliás como todas que tenho publicado na Serpente - de hoje de manhã, na margem duma vala, junto a dois choupos.
a 2 metros da estradinha de terra que dá acesso ao Monte - provocação autêntica. Já devem estar lá seguramente há mais de uma semana.
Por quê só hoje dei por elas?
São também donas de um perfume, sui-géneris, que deve chegar à estrada.
terá sido seu último argumento?
Sei que parei para olhar. Há dois pequenos tufos. Cada flor é um afilado caule herbáceo, com dois palmos de altura, encimado por uma campânula amarela bonita de se ver.

já que aceitei o desafio, voltarei a fotografá-las com o cuidado que merecem.

grande abraço