O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 11 de setembro de 2011

se a mudança
se faz teimosa
senta com ela
agora, deixa-te ir

8 comentários:

platero disse...

excelente trio de poemas

gostei muito
beijo

Isabel Metello disse...

Me too! :) Sublimes, Paladar :) exalam uma Paz de Espírito e Vidência Raras :)

paladar da loucura disse...

um abraço apertado aos dois!

Ferro Velho disse...

Triozinho mais sensaborão!

platero disse...

e quarteto

- como classificar?
- iluminado?

paladar da loucura disse...

estás sempre atrelado a ele, já deste conta disto Ferro Velho? É um beijo que queres?

Ferro Velho disse...

Sempre pronta, n´é paladar?

Isabel Metello disse...

Já comeu as Whiskas hoje? Ah, então é porque etavam estragadas...olhe que essas unhas afiadas não assustam alguém que seja...na medula perscruta-se a causa estrutural de tanta negatividade...não vou dizer qual é para não ferir susceptibilidades, incluindo as suas...