O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

PENSE

numa passagem regressiva pelo meu blog
dei com esta pergunta inquietante
:

e se a SOMBRA fosse branca?

12 comentários:

paladar da loucura disse...

se a sombra fosse branca
estaria dirvorciada da luz, poeta

platero disse...

poeta

e se a luz fosse negra
a sombra não seria branca?

beijo, melhoras físicas

paladar da loucura disse...

se a luz fosse negra
eu deixa-me estar
até que o branco
viesse abraçar-me

beijo

Ferro Velho disse...

Os segredinhos poéticos elevam-nos tanto o paladar...

Platero,
Luz e sombra são posições de objetos, o não-estar do estar, reflexos de cortes no espaço. Não têm cor e não existem, poeta.

paladar da loucura disse...

conta-me então os segredinhos, Ferro Velho

platero disse...

FERRO VELHO

uma "descoberta" poética não é uma nova equação matemática
uma até então desconhecida lei da física, da química, da mecânica

quando falo em estrelas importa-me pouco saber a sua composição física, a que distância estão da Terra, até quando vão ter matéria para arder, o nome do astrónomo que as localizou e nomeou

sombra para mim é matéria escura que um corpo opaco projeta numa superfície, quando iluminado por uma fonte exterior. serve?
importante para mim é ter-me ocorrido a ideia do que seria a sombra se fosse branca.
e se a luz fosse negra, como seria a sombra?
se eu me guiasse pelo senso-comum não teria o meu próprio sistema de rega das minhas próprias plantas, não teria colado na parede do banheiro um tapete áspero à altura das costas, onde as esfrego como um elefante quando sai do banho.

não se incomode pois que eu me questione sobre as variantes possíveis da cor da SOMBRA

o tal abraço

beijinho à Paladar

Isabel Metello disse...

Gostei muito tanto da hipótese poética como doscomentários- essa do elefante está catita!

Lá vou eu ser umibiguista, mas achei interessante o intertexto- no primeiro conto que me atrevi a escrever, creio que em 2003, havia 3 tipos de personagens: as sombras (poucas, mas poderosas); os intocáveis (os seus soldados ) e os espelhos (muito poucos, tb, poderosos de acordo com a Luz :) - perdoem-me a intromissão,mas recordei-me desse momento twilight zone :)

platero disse...

ISABEL

nunca se intromete
é sempre interessante tê-la como interlocutora

- não como intrometida
beijinho

Ferro Velho disse...

Olha Platero, se pensas que me ofendes com o teu insincero desprezo desengana-te! Não percebo por que razão todas merecem beijinhos menos eu. Acho a atitude despropornocionada.

platero disse...

tanta CIÊNCIA, tanta originalidade,
tanta descoberta
quem já se lembrou de fazer coincidir FERRO VELHO
com
JCN?

eh pá (Gelado - marca de)
se o beijinho é assim tão importante para o meu amigo, ele aí vai aos trambolhões

abraço

Isabel Metello disse...

Obrigada, Platero :)

Isabel Metello disse...

Bjs para todos, incluindo o/a caturra do/a FV :)) um na face outro na testa :))