O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 28 de agosto de 2011

O Embaixador

Abraça-me com carinho, pergunta pelos meus. Diz a sorrir:
- Ah, a vida está dificil! Sou um desalojado... Colocaram-me como embaixador em África. Vou viver numa casa de mil metros quadrados, com quatro empregados...
Tento devolver o sorriso, mas todos os musculos estão presos. Disfarço o choque e com meu olhar nos sapatos dele, pergunto:
- E por cá, onde vives?
- Ah, tão mal. No prédio de um primo. São seis andares inteiros e três empregadas...
Digo que tenho pressa. Se meu estômago fosse um cão, mordia.

3 comentários:

platero disse...

invejável desalojado

quem dera

beijinho

paladar da loucura disse...

O interessante disto, é que foi tudo verdade. Pobres miseráveis, ignorantes que não tem pejo em brincar com pobreza!

Isabel Metello disse...

Esse tipo de criaturas nefastas, cujo umbigo as prende à vida quando as deveria, progressivamente, fazê-las projectar para Quem ou O Que os Fez um processo inverso de descentração são mesmo uns imorais com festas de caridadezinha apócrifas com direito a discursos muito finos...