O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 9 de agosto de 2009

Da revolução como "tradição mais profunda"

"Uma revolução é um apelo de uma tradição menos perfeita a uma tradição mais perfeita, um apelo de uma tradição menos profunda a uma tradição mais profunda, um recuo de tradição, uma ultrapassagem em profundidade; uma busca em fontes mais profundas; no sentido literal, uma refontalização...No fundo uma revolução não é uma revolução plena a não ser que seja uma mais plena tradição, uma mais plena conservação, uma tradição anterior, mais profunda, mais verdadeira, mais antiga, e assim mais eterna"

- Charles Péguy, Oeuvres en Prose, 1, Paris, La Pléiade, 1968, pp.1377-1378.

17 comentários:

Kunzang Dorje disse...

Então meditar é uma revolução uma vez que nos permite aceder ao mais profundo que há em nós e no Universo, a natureza primordial, essa «tradição anterior, mais profunda, mais verdadeira, mais antiga, e assim mais eterna».

João de Castro Nunes disse...

Agora que aprendi a escrever o meu nome em cima dos comentários vou dar cabo de vois toidos!...

João de Castro Nu disse...

vai te vestir palhaço!

João de Castro Nunes disse...

La voltam eles a marrar... contra o pano vermelho! Muita espécie lhes faz o meu nome!... Todos... querem ser eu! Como não alcançam, rastejam... sordidamente... ao nível da latrina. Vermes... escapados à "desinfestação"! Os mais perigosos, mas também os mais nojentos. No fundo, desvanecido!
"Atirai, pedras, medíocres!"

Tartaruga Genial disse...

Porra que me esqueci de assinar...

P.S. - Você engole...

batman disse...

Tenho medo que o JCN seja o baal!...

kutaytodu disse...

o melhor é k o gajo fala com ele mesmo LOL

Anónimo disse...

Alguém ofereça o "Internet para Totós" ao JCN

João de Castro Nunes disse...

Para vos acirrar os cornos, aqui vai este:

QUEM MAIOR?

Desinfestado o leito da Serpente,
regresso afoitamente aos meus sonetos,
ou seja, os meus poemas predilectos
tanto hoje em dia como antigamente!

Bocage superando algumas vezes
e atè Camões por vezes igualando,
eu neles me revejo sempre e quando
leio os demais poetas portugueses.

Não venham cá com coisas escusadas,
invejas, reacções disparatadas,
a pôr em causa a minha presunção!

Perfeitos,musicais,quase espontâneos,
entre os demais orfeus contemporâneos
os meus sonetos são pura excepção!

JOÃO DE CASTRO NUNES

"Atirai pedras, medíocres!"

João de Castro Nunes disse...

Para vos acirrar os cornos, aqui vai este:

QUEM MAIOR?

Desinfestado o leito da Serpente,
regresso afoitamente aos meus sonetos,
ou seja, os meus poemas predilectos
tanto hoje em dia como antigamente!

Bocage superando algumas vezes
e atè Camões por vezes igualando,
eu neles me revejo sempre e quando
leio os demais poetas portugueses.

Não venham cá com coisas escusadas,
invejas, reacções disparatadas,
a pôr em causa a minha presunção!

Perfeitos,musicais,quase espontâneos,
entre os demais orfeus contemporâneos
os meus sonetos são pura excepção!

JOÃO DE CASTRO NUNES

"Atirai pedras, medíocres!"

cagalhão lindo disse...

o meu é muito mais bonito que o teu

Carocha disse...

Tenho medo do Partido Pelos Animais.

Neo o peido mortal disse...

Tenho medo que descubram que sou eu que faço estes comentários todos, que a realidade seja a net e possa matar-vos com um peido!...

Fernanda Pessoa disse disse disse...

Tenho medo de acordar frígida e não conseguir escrever um soneto tão bom como os do JCN.

frag.

João de Castro Nunes disse...

Quem isto permite é cúmplice!...

João de Castro Nunes disse...

Lá voltas a querer ser eu! Procura outro, mentecapto! Da tua laia.

João de Castro Nunes disse...

Por motivo de falta de higiene física e mental dos usuários, a latrina voltou a encerrar as suas portas. Arranjem-se... como puderem! E tratem-se... entretanto!