O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Ergam escadas/ Partam muros

6 comentários:

Kunzang Dorje disse...

Mas com compaixão pelos que sofrem... Inclusive por aqueles que constroem muros e destroem escadas... Porque ódio e raiva geram ainda mais raiva e ódio num ciclo incessante. Porque para se fazer a revolução, há que primeiro incendiar a alma com amor e compaixão e despi-la de ódio e de cólera. Assim faz sentido a revolução... O regresso às origens... Da cidade para o campo...

Agostinho da Silva disse...

E este é o nosso primeiro ponto de combate: o de não deixarmos que o que é puramente temporal tome em nossas vidas o lugar que se deve ao eterno.

Agostinho da Silva disse...

Desde (...) que o entendimento seja completo, o homem que pensa é um excelente soldado: daqueles que vão para a batalha resolutos e calmos, pacíficos afinal no meio de todas as tormentas, percebendo em que guerra estão metidos, em que estratégias e tácticas se envolvem, e aceitando, o que é mais importante, como perfeitamente legítimos e benéficos, todos os sofrimentos que sobre eles se abatem.

Shantideva disse...

Aqueles que me fazem mal erguem-se contra mim:
É o meu karma que os convoca.
E se por isto estes seres vão para o inferno,
Não sou eu quem trz a sua ruína?

Por causa deles, e mediante a minha paciência,
Todos os meus muitos pecados são limpos e purificados.
Mas serão eles que, graças a mim,
Conhecerão as prolongadas agonias no inferno.

Maria da Luz disse...

Ah, sim, se toda a gente reflectisse bem na mensagem destes versos de Shantideva, não haveria tanta maldade neste mundo (e neste blog)!

Agostinho da Silva disse...

Vão brincar com as pilinhas meninos e deixem-me em paz.