O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 12 de agosto de 2009

magia

walter benjamim disse uma vez, que a primeira experiência que a criança tem do mundo não é que os adultos são mais fortes, mas sim a sua incapacidade de fazer magia.

3 comentários:

parasensorial disse...

estaremos constantemente a redescobrir essa incapacidade?

saudadesdofuturo disse...

Várias poderão, baal, ser as razões e os argumentos relativos à "pureza" da criança ou à sua "imaginação" que opera sobre as coisas e sobre o tempo. Na verdade, a incapacidade de ser criança, ou o esquecimento de como se é, em estado e inocente.

A criança esterna que redescbrimos que nos falta, que é um "handicap" da nossa adultez.
Walter Benjamim, dá-se conta, neste enunciado, que o adulto não consegue fazer acontecer as coisas, como as crianças as "vêem". Os conceitos, a razão não opera "magia"... A arte, não sendo a verdade, dá a ilusão de a ser... a arte, a filosofia e a religião é a possibilidade de tornar possível, em artifíio e em beleza, porventura, que menos em verdade, esse impossível.

Um abraço aos dois.

Isabel Santiago disse...

Ainda bem que o disse. É verdade. E todos temos que ouvir verdades! Risos.