O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 2 de agosto de 2009

contra poder

será que a linguagem, mesmo a mais anárquica não serve o poder?

'há, então, índices maquínicos quando uma máquina está a ser montada, e já funciona sem que se saiba como procedem então as partes díspares que a compõem e a fazem funcionar.'
deleuze

14 comentários:

Anónimo disse...

Sois uma bosta!

aparvalhada disse...

Algo não está bem.

Da profundidade disse...

"Hermes: Asclépio, tudo o que é movido não é movido em algo e por algo?

Asclépio: Certamente!"


Diálogo Geral entre Hermes e Asclépio, O Sexto Livro

Pistoleiro disse...

Abaixo o fascismo e quem o apoiar!

Escudeiro do Rei disse...

abaixo a máscara de quem anda a ciscar

Um peido sem lei disse...

Eu quero ser um croissant

baal disse...

que a linguagem diga e revolte e questione 'porque é que os homens combatem pela sua servidão como se tratasse da sua salvação?'espinosa,
'porque é que há homens que suportam há tempo a exploração, a humilhação, a escravatura, e que chegam ao ponto de as querer não só para os outros mas também para si próprios?'
provocação:
divirtam-se por agora, quando chegar a hora de serem explorados e a vossa liberdade destruída, não gritem 'papá-mamã', nem fujam vendendo a alma.

Peido com lei disse...

Eu quero ser comido de todas as maneiras e feitios e chamar-me liberdade responsável. Com isso obtenho protecção neste mundo selvagem e subo ao feijoeiro.

parasensorial disse...

no caso da máquina humana:

'há, então, índices maquínicos quando uma máquina está a ser montada, e já funciona sem que saiba como procedem então as partes díspares que a compõem e a fazem funcionar.'

servil sem servilismo disse...

Não te irrites. Há muito que percebi de quem é o mundo...

Peido com lei II disse...

Desculpem. Não é minha intenção ofender-vos. É apenas o que penso e admito poder estar errada.

No tapete a pisar uvas disse...

O tom é putativamente despeitado. Noto logo que és tu...

jucinda disse...

Miséria.

antónimo disse...

eu quero ser budista!