O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 27 de novembro de 2011

você
que há tanto tempo não me vê
que em mim não crê

que me deslê
que sei que não gostou
que eu fosse
à manifestação
da CGTP

você
que sempre teve e tem
por mim algum desdém

saiba porém
que aquilo em que muita gente crê

-com ou sem amor
seja ele o que for -

você
é o meu ponto
G

15 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Que belo parto, Amigo! O ponto... funcionou! JCN

platero disse...

É como o tal famigerado ponto. Mesmo que muito bem localizado, umas vezes funciona outras não

abraço

João de Castro Nunes disse...

No seu caso, funciona sempre, independentemente do tamanho...do poema! JCN

platero disse...

sarcástico - como é próprio, e exclusivo, das pessoas inteligentes.
E mais - entretanto no seu campo da filosofia
:
não é o ser-se inteligente que determina o espírito sarcástico
- é o ser-se sarcástico que modela o grau de inteligência

João de Castro Nunes disse...

Quem... mais sarcástico, sem querê-lo ser?! Quem mais espontâneamente poeta, por obra e graça dos deusus imortais?! O que nos havia de acontecer, admirado Amigo! JCN

F.W. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel Metello disse...

JCN já fala Latim, até porque o Latim não é uma língua morta, mas viva nas suas 5 versões que evoluíram pelo erro que se vai tornando norma ad aeternum...O FW deveria era ir a uma missa ortodoxa (Grega, Russa, whatever...:), garanto-lhe que, se quisesse reconhecer-se, não haveria melhor... a religiosidade (no sentido etimológico :) é a mesma em qualquer idioma, excepto talvez naquelas cantilenas tipo Padre Borga, que tb não aprecio- lá está: não é no canto que está o segredo, mas na emoção com que este nos possa elevar a Alma, ou não, tudo depende da Essência de cada qual...quando ao sarcasmo, discordo, adoro a inteligência auto-irónica, pois essa é que revela que alguém se canaliza para o interior, pondo-se em questão; quem se projecta para o exterior cai-lhe o sarcasmo na mão ou no Aquiles Tendão (no offense, Platero, just jocking...:)

Isabel Metello disse...

Alguns exemplos ecuménicos e plurilinguísticos :)

A

(1) Latim clássico :)
http://www.youtube.com/watch?v=t3HyQDazVrk

http://www.youtube.com/watch?v=MFzagzrp0gQ&feature=related


(2) Línguas Latinas :)

(a) Francês :) http://www.youtube.com/watch?v=WpV_T8g5Zco&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=oVvTQU_s5Zs&feature=related

(b) Castelhano (vulgo, Espanhol (que é uma concepção idiomática artificial :) http://www.youtube.com/watch?v=go1-BoDD7CI&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=t6Dv_pe73fk

(c) Português: http://www.youtube.com/watch?v=yq8wG-Fpd18

(B) Inglês (que tb tem muitas palavras Latinas :)
(i) http://www.youtube.com/watch?v=t4Svh-9ohg4&feature=related

(ii) http://www.youtube.com/watch?v=5denqZ2vK8U&feature=related

(C) Alemão
http://www.youtube.com/watch?v=sd5xONSriHY
http://www.youtube.com/watch?v=DpmlQOTFEeE&feature=related

já procuro mais, pois tenho de ir...

João de Castro Nunes disse...

Caro F. W. : não me surpreende, porque pelos "pés grandes e peludos" já o tinha pressentido! Em guarda, pois! JCN

João de Castro Nunes disse...

Ainda não reparou, F. W., que as minhas quadras estão escritas em latim... moderno? JCN

platero disse...

Boa réplica à minha demanda do santo
ponto G

abraço e beijo

João de Castro Nunes disse...

O mal, Platero, foi termos saltado, quanto ao dito cujo ponto, dos domínios inocentemente poéticos para os ecumenico-linguais, pervertendo as nossas intenções. É no que dão as extrapolações, embrenhando-nos em marginais questões de temperamento e língua. Há que estar de atalaia... para que não nos tolham as mãos, metaforicamente falando, à laia do Pablo das alegorias! Que bons pontos! JCN

João de Castro Nunes disse...

Para rematar, brindando:

Os seus poemas, Amigo,
nunca deixam de bater
no ponto certo, sem ver,
que é coisa que eu não consigo!

JCN

João de Castro Nunes disse...

O sarcasmo e a inteligência
fazem muito boas migas,
pois a sua convivência
longe se encontra de intrigas!

JCN

F.W. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.