O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 4 de maio de 2011


quando fazia a açorda
e cortava o pão
notei que havia ali
uma espécie de alucinação

esquizofrenia?
não sei
a mim pareceu-me
a "cara" de um LEÃO

gostava de saber
a tua opinião
:
"cara" de LEÃO?
esquizofrenia?
alucinação?

ou simplesmente
PÃO?

3 comentários:

Antígona disse...

Espero que tenha sido a cara de Leão :)

paladar da loucura disse...

pão somente/leão no teu coração/medo nomedo da alucinação/ no teu coração - o pão

beijos

platero disse...

Antígona

grato pelo juízo. Ou isso ou simplesmente pão. Quando bebia cerveja também gostava de ler os bonecos de espuma que ficavam nos copos. Os antigos não liam as vísceras de vítimas que imolavam, o voo das aves, a direção do vento na noite de Natal?

Paladar
poeta como sempre - em tudo.
Beijos pela leitura