O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

VALE A PENA

boca humana
número 7 mil milhões
está prestes a berrar
que quer mamar

coisa linda senhores

tenhamos juízo e unamo-nos
-o momento é belo -
para que esta anunciada
boca humana
sempre encontre resposta
ao seu apelo

18 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Nada há de mais salutar,
para o meu ponto de vista,
que poder felicitar
por seu poema um artista!

JCN

platero disse...

assim devolvo ao gentil
ao exímio sonetista
multiplicado por mil
seu veredito de artista

grande abraço

paladar da loucura disse...

bem, parece que temos um casamento de poetas...

João de Castro Nunes disse...

Se acaso tem paladar
a doença da loucura,
era bom que a criatura
no-lo deixasse provar!

JCN

João de Castro Nunes disse...

Será doce, açucarado,
ou amargo como o fel,
apimentado, salgado,
ou gostoso como o mel?!

JCN

João de Castro Nunes disse...

As almas quando se entendem
os seus destinos enlaçam,
sobretudo quanda as prendem
os mesmos credos que abraçam!

JCN

João de Castro Nunes disse...

Eu tenho apenas um culto
que poesia se chama:
quem lhe dirige um insulto
a si mesmo é que se trama!

JCN

João de Castro Nunes disse...

Há poetas e Poetas,
consoante o seu valor:
uns não passam de patetas,
outros merecem louvor!

paladar da loucura disse...

sábia é a loucura que descobre no intervalo o sentido do poema...

João de Castro Nunes disse...

Acaso chegou lá... pelo paladar?! JCN

platero disse...

se é que há intervalos na loucura

- ENTREMEADA?

beijo a uma e abraço a outro

João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João de Castro Nunes disse...

Há casos, históricos, de
loucura... intermitente! Não vou referi-los para não envergonhar ninguém ou sacudir o ninho das vespas! JCN

platero disse...

o mais oportunista ninho de vespas (vulgo vespeiro) que encontrei na minha vida foi
escondido no interior do capacete para andar de bicicleta.
quando dei por ele estava bem ferrado

abraço

platero disse...

estamos a minutos do dia de anos de PALADAR DA LOUCURA. Convém não esquecer de mandar muitos beijinhos à senhora.
Ah, e quem tiver, abrir uma garrafa de champanhe. Eu - só se for um tinto

João de Castro Nunes disse...

Seja qual for o sabor
que possa ter a loucura,
eu brindo ao grande valor
desta "sábia" criatura!

JCN

João de Castro Nunes disse...

Para Platero:

Só vale a pena
se a alma é pequena,
pois sendo grande
já não se expande!

JCN