O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 27 de julho de 2011

OSLO 2011

o pirilampo voa
exibe aquilo que sente

voar é seu capricho

mesmo que de forma intermitente
empenha-se em mostrar
que não é gente

- é bicho

10 comentários:

Isabel Metello disse...

Gosto de pirilampos e de bichos :)de gente, cada vez menos...gostei!
Voa, pirilampo, nem que só ilumines as tuas pequenas patitas :)

Isabel Metello disse...

Ai, credo, que só agora li o título- se o pirilampo é o psicopata assassino, Dum-DuM com ele :) um psicopata nunca poderá ser um pirilampo, mas antes algo muito frio, sem qualquer empatia por álguma vida que seja..."a fonte do mal é a ausência de empatia"...e, pelos vistos, não está sozinho...é muito perigoso subestimar-se um monstro destes...chamem profilers especializados, eles regem-se por padrões até nos contactos que, geralmente, são "massa bruta", completamente disposta a massacrar à ordem do dono...

Isabel Metello disse...

alguma :)

platero disse...

por acaso já alguma vez viu pirilampos?

os agroquímicos da chamada revolução verde conseguiram dizimá-los

viva a civilização

paladar da loucura disse...

eu vi pirilampos há uns 20 anos no Brasil. Depois disso, sonhei com eles.
Beijos

rmf disse...

Platero, e pelo andar da carruagem, qualquer dia, vão as joaninhas pelo mesmo caminho...

gostei do teu poema; permite-me, chamar-lhe-ia, 'Livre'

Abraço fraterno

platero disse...

Paladar

mesmo no Brasil não vão sobreviver por muito tempo; é pena. tens a teu favor saber sonhar com eles

beijo

Rui
grande razia parece que vai também pelos anfíbios, Salamandras não vejo há muito tempo. sapos são raros

abraço

Isabel Metello disse...

Platero, já vi, agora não me lembro se foi em África ou aqui, mas as suas luzinhas sempre me deslumbraram, como as formigas- gosto de as observar sempre como se andassem sempre aos círculos, mas não se esquecessem da sua rota :) pode ser que este Verão apareça algum...do que tenho mesmo saudades é de adormecer com o som de grilos e de batuques ao longe :)

Ferro Velho disse...

Porque não te calças?

platero disse...

para FERRO VELHO

não adianta dizer
que o mundo está de pantanas
-cada um pode fazer
com que haja menos sacanas

abraço - já me calcei