O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 31 de julho de 2011

DIA

a noite vai parir
já se vê o sangue pelos campos
por detrás da ribeira

rebentaram as águas

um suave azul-cinzento
engole o tom da aurora

a plumagem das aves
secará as carnes
do menino

7 comentários:

rmf disse...

Bonita fotografia! :)

Abraço

paladar da loucura disse...

Muito, muito bonito. Parabéns Platero.
Beijo

platero disse...

agrada-me que vos tenha agradado

abraço e beijo

paladar da loucura disse...

eu fico com o abraço. o beijo dás ao rmf, borboleta no nosso espaço :-)
e para ti e o rui que não conheço
beijo e beijo

Ferro Velho disse...

Ai, tão bonitinho.

paladar da loucura disse...

Bonitinho rima com o quê, Ferro velho?

Ferro Velho disse...

linho
pinho
Minho
moinho
sozinho
focinho
rosmaninho
marinho
vinho
ninho
Martinho

GATINHO (os únicos que merecem diminutivo)