O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 5 de junho de 2011

em cada palavra inventada
sinto
em cada toque imaginado
sinto
em cada beijo sonhado
sinto
em cada um dos teus ais
sinto
em cada intervalo
sinto
quando dormes e acordas
sinto

o sopro suave da tua voz
o teu corpo no meu corpo
teu olhar no meu
sinto, poeta
não pergunto

3 comentários:

platero disse...

lindo

como manhã de sol
de pássaros
de flores
e de
domingo

paladar da loucura disse...

Platero
é um fã incondiconal?

Isabel Metello disse...

Adorei! Diz-se que dizem que, quando há uma ligação espiritual profunda, a distância física é nada comparada com a comunicação anímica, como sese percebesse que aquele coração pulsa, mesmo que não se veja ou reveja jamais o invólucro que o alberga...