O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 10 de maio de 2012

O mundo sabia de cor, a cor da dor de quem nunca teve a sorte de nascer imperador. O peixe era doce e cru. A beterraba avinagrada. A vontade de ser feliz era tanta como a tua agora que acabas de nascer. O jejum era dos pobres que o faziam dia após dia.
Vizinhos da vida viajaram sem regresso com um sorriso que não esqueço.
O homem mata o homem e nunca sabe porquê. Bendita a memória que me assombra neste dia que nasce outra vez.

5 comentários:

João de Castro Nunes disse...

À laia de comentário, deixo-lhe este soneto:

*


Renascer em cada dia


O dia de amanhã seja o começo
de uma nova existência sem lembrança
de funestos pesares, cujo preço
já com juros paguei, feita a cobrança!


A vida de raiz principiemos
em cada novo dia, na ilusão
de ser sempre o primeiro que vivemos
com redobrada força de emoção!


Por esta forma nunca se envelhece,
pois tudo aquilo que nos acontece
terá sempre o sabor da novidade.


Não conferindo aos anos importância,
a sensação vou tendo, em cada idade,
de ainda e sempre me encontrar na infância!


João de Castro Nunes

paladar da loucura disse...

Esse poema deveria estar na página principal! Muito bonito, JCN.
Sinto-me homenageada. Muito obrigada.

platero disse...

"O mundo sabia de cor, a cor da dor de quem nunca teve a sorte de nascer imperador."

fosse o peixe Imperador
outra seria a cor
da dor

beijo

paladar da loucura disse...

é verdade, Platero!
Obrigada. Beijo

João de Castro Nunes disse...

Tudo na vida é questão
do colorido que tem:
o que importa é que ninguém
perca a sua percepção!

JCN