O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 4 de abril de 2012

Durante a tempestade
a chuva afogou-se no oceano
e o peixe largou o isco

4 comentários:

platero disse...

gosto do conjunto
utilização judiciosa das palvras

beijinho

paladar da loucura disse...

Judiciosa?
Bjo

João de Castro Nunes disse...

Ou... engenhosa? Ou, mais propriamente, especiosa? Das palavras ou das figuras?... Conjecturas... JCN

paladar da loucura disse...

Gostei, JCN!