O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Para venir a lo que gustas has de ir por donde no gustas



Para venir a gustarlo todo

no quieras tener gusto en nada.

Para venir a saberlo todo

no quieras saber algo en nada.

Para venir a poseerlo todo

no quieras poseer algo en nada.

Para venir a serlo todo

no quieras ser algo en nada.

Para venir a lo que gustas

has de ir por donde no gustas.

Para venir a lo que sabes

has de ir por donde no sabes.

(…)

Cuando reparas en algo

dejas de arrojarte al todo.

Para venir del todo al todo

has de dejarte del todo en todo,

y cuando lo vengas de todo a tener

has de tenerlo sin nada querer.

En esta desnudez halla el

espíritu su descanso, porque no

comunicando nada, nada le fatiga hacia

arriba, y nada le oprime

hacia abajo, porque está en

el centro de su humildad.


Juan de la Cruz

6 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Classificação máxima! JCN

Menino Jesus da Cartolinha disse...

O "para vir ao que gostas hás-de ir pelo que não gostas" evoca também a importância da obediência na espiritualidade, seja ela a dos conselhos evangélicos, seja a da obediência a um guru, etc. E é, talvez, um dos preceitos mais difíceis, porque se opõe directamente à talvez mais forte tendência no humano: a vontade de poder ou potência... Para "Deus sobe-se descendo" como diria S. Francisco Xavier. Este descer em compasso binário: descer a si e esvaziar-se de si...

platero disse...

faz muito lembrar Álvaro de Campos(?)

não sei - gostei muito
obrigado

João de Castro Nunes disse...

Não baixe a pontuação, caro Amigo! JCN

João de Castro Nunes disse...

Para subir até Deus
há que primeiro descer:
quantas vezes os troféus
o prémio são de morrer!

JCN

... disse...

...Monte nada...