O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A new moon's rising

I have seen you countless times before, 
Yet tonight I sit in my veranda, 
Waiting for but a glimpse of you, 
Never this excited for the moon, 
Never acknowledged, 
Yet every night you light my night, 
Quietly silently you pray, 
For me to look at you, 
Each night I never did, 
But tonight I sit for you in wait, 
Then you show me your majestic beauty, 
Your aura reflecting a thousand colours, 
Colours I have never seen, 
 I sit looking at you in awe, 
Within seconds you disappear, 
Playing an eternal game of hide and seek, 
I kept searching the night sky for you, 
You no longer displayed your beauty, 
 Now you will return when I watch the sky no more, 
Making me realise that the moon 
I had never seen before. 

Qudsia Pervez

1 comentário:

nenhumnome disse...

Tão bela a imagem quanto o texto.
Uma nova lua nascente me dá em Saudade da Serpente. E de ti, querido Amigo.